Smartphones geram déficit de atenção

Harvard publicou um estudo que acompanhou 2500 estudantes, enquanto realizavam 14 atividades determinadas.

Somente 4,6% dos que não utilizam tecnologias com alta frequência tiveram sintomas de perda de concentração, enquanto 9,5% dos jovens que utilizam muito seus dispositivos apresentaram transtornos de atenção.

O número sobe para 10,5% no caso dos que fazem uso frequente de seus telefones.

Para os especialistas, o uso de mídias digitais aumenta em 10% a possibilidade de ter hiperatividade e dificuldade de concentração.

Outras pesquisas vincularam a percepção da felicidade entre os jovens com o baixo uso dos meios digitais.