A obsessão de Napoleão pela tumba de Alexandre, o Grande

 

O grande conquistador Alexandre, o Grande morreu na Babilônia no ano de 323 a.C., a dias de completar 33 anos.

 

Em princípio, seus súditos construíram um luxuoso mausoléu e o transportaram até a Macedônia, sua cidade natal.

 

Posteriormente, o imperador Ptolomeu transladou seus restos até a cidade de Mênfis, no Egito.

Ptolomeu II quis dobrar a aposta, e levou os restos de Alexandre para um mausoléu ainda mais luxuoso em Alexandria.

 

Muitos poderosos romanos peregrinavam até a tumba do heroico general para prestar-lhe homenagens.

 

Porém, após o grande terremoto de 365, o rastro da célebre tumba se perdeu entre as brumas da história.

 

Desde então, grandes personagens são obcecados em encontrar os restos mortais do grande macedônio.

 

Em 1978, Napoleão Bonaparte conduziu uma expedição até Alexandria, em busca do célebre sarcófago.

 

Apesar dos imensos esforços arqueológicos realizados em sua busca, o paradeiro da tumba de Alexandre, o Grande continua sendo um mistério.

 

Fonte: ABC