Grande descoberta sobre os princípios da humanidade

Como surgiu o homem moderno?

Como viveram os primatas enquanto a evolução foi esculpindo pouco a pouco um cérebro maior?

Essas perguntas somente podem ser respondidas por meio do estudo dos fósseis de nossos antepassados.

Uma pesquisa que foi publicada na revista Nature conseguiu estabelecer um marco temporal claro para todos os fósseis do “Berço da Humanidade”.

Isso permitirá esclarecer muitas das dúvidas e discrepâncias que existem nesse momento e permitirá reescrever os capítulos dessa antiga história da humanidade, marcada por seres que podem ser chamados de hominídeos, entre os quais havia representantes dos gêneros Australopithecus, Paranthropus e Homo.

A autora do estudo e pesquisadora da Universidade da Cidade do Cabo Robyn Pickering explicou que é a primeira vez que se obtêm idades para todas essas cavernas e fósseis do sul da África.

Os especialistas informaram que as rochas das cavernas permitiram concluir que o clima passou por épocas secas, como hoje, e outras muito mais úmidas.

Algo muito relevante que foi constatado é que os fósseis encontrados vêm de épocas em que as cavernas estavam secas, e que não era possível terem se formado quando estavam úmidas.

Por esse motivo, esses ciclos climáticos fazem que hoje em dia existam lacunas nos registros de dados e que os estudos sejam tendenciosos, já que só levam em conta as épocas mais secas.

Também não há como saber o que ocorreu durante os momentos úmidos, porque não há restos.

Até agora, havia se calculado a idade de um ou dois fósseis, mas nesse artigo propõe-se um modelo para compreender a história da formação das cavernas em toda a região.

Todas as informações coletadas podem ser utilizadas para estabelecer a idade de um grande número de fósseis dos ancestrais humanos e, além disso, descobrir como o meio ambiente mudou nessas épocas.

Até agora, os registros mais antigos haviam sido encontrados em sítios situados na África, o lugar de onde todos nós viemos.

E a maior parte do que se conhece sobre esses primórdios provém de depósitos de fósseis do Leste da África, na região do lago Turkana, na formação Hadar, na garganta de Olduvai.

Com a pesquisa, o sítio arqueológico situado a 40 quilômetros ao norte da cidade de Johannesburgo se tornou crucial para a compreensão dos primeiros estágios da evolução.

No entanto, pela dificuldade de se estabelecer a idade dos fósseis, por conta da natureza da região, não há um consenso e é muito difícil reconstruir a história e as circunstâncias climáticas nas quais viveram os antepassados dos humanos.