Astrônomos de Harvard sustentam que um misterioso objeto interestelar pode ter sido enviado por alienígenas

Em outubro de 2017, Robert Werylk descobriu o Oumuamua, um misterioso objeto que cruzava o Sistema Solar, a 30.000.000 de quilômetros da Terra.

Com pouca informação, ele primeiro foi classificado como um cometa e, após confirmar que não apresentava atividade, foi considerado um asteroide.

Uma nova pesquisa da Universidade de Harvard propõe que o objeto em questão “pode ser uma sonda enviada intencionalmente à Terra por uma civilização alienígena”.

Mesmo que os cientistas Avi Loeb e Shmuel Bialy não tenham afirmado diretamente que os extraterrestres tenham enviado a suposta nave, as especulações são várias.

Elas sustentam que o objeto seja de origem artificial e há a possibilidade de ser uma “vela solar”.

As chamadas “velas solares” são instrumentos lançados ao espaço que consistem em uma grande superfície composta por lâminas refletoras muito rápidas, que usam a radiação solar para se impulsionar.

Assim seria explicada a excessiva aceleração do Oumuamua ao se distanciar do Sol, impulsionado pela força que a luz solar exerce sobre sua superfície.

Para que essa força explique a sua aceleração, o objeto deve ser extremamente fino, com uma fração de milímetro de espessura, mas com dezenas de metros de extensão.

Sendo sua origem natural ou artificial, a grande velocidade e a trajetória do objeto avermelhado indicam, segundo os cientistas, que ele não pertence ao Sistema Solar.

Além disso, sua forma chata e estirada, que foi comparada a um charuto, não se enquadra em corpos ou fenômenos já conhecidos.

Sem mais dados, é impossível que os cientistas estimem o propósito por trás do Oumuamua. No entanto, eles analisam os cenários possíveis.

Uma possibilidade é que ele estava flutuando quando se chocou contra o Sistema Solar, como um barco que topa com uma boia na superfície do oceano”, opina Loeb.

Outra opção mais exótica é pensar que poderia ser uma mostra de tecnologia extraterrestre que chegou para explorar nosso Sistema Solar, do mesmo modo que nós esperamos explorar o sistema estelar Alpha Centauri utilizando Starshot e tecnologias similares”.

Agora, os pesquisadores de Harvard enfrentam um problema adicional: é que o

Oumuamua já deixou o Sistema Solar e não é possível visualizá-lo com telescópios.

Talvez essa situação anime os astrônomos a encontrar objetos similares e averiguá-los melhor.

Por se considerar que o Oumuamua possa ser uma mostra de tecnologia extraterrestre que chegou para explorar nosso Sistema Solar, pode-se “imaginar que o Oumuamua estaria em uma missão de reconhecimento”.