Todos os horários
Justiça

Trio neonazista é condenado em Porto Alegre por atacar judeus

Os três homens acusados de agredir um grupo de judeus em Porto Alegre foram condenados pela Justiça. O trio respondia por tentativa de homicídio triplamente qualificado por motivo torpe (discriminação racial). Os réus militavam em um grupo neonazista.  

Vídeo relacionado:

Encerrando dois dias de julgamento, a Juíza Cristiane Busatto Zardo proferiu o veredito do júri e leu a sentença: os três réus foram considerados culpados. Laureano Vieira Toscani e Thiago Araújo da Silva foram condenados a 13 anos de prisão em regime inicial fechado. Fábio Roberto Sturm a 12 anos e oito meses. Thiago e Fábio poderão recorrer em liberdade. Segundo a acusação, o crime foi cometido única e exclusivamente por discriminação às vítimas.

De acordo com o Ministério Público, os condenados integram um grupo de skinheads que prega contra grupos étnicos e sociais, como, judeus, negros, homossexuais e punks. A violência aconteceu em maio de 2005 no bairro Cidade Baixa, na capital do Rio Grande do Sul. As vítimas foram identificadas porque usavam quipás, o chapéu judaico. Os agressores saíram de um bar e atacaram três judeus na rua com golpes de facas e canivetes.

Uma das vítimas escapou por pouco da morte. Até hoje ele carrega cicatrizes das facadas. Segundo o MP, o grupo de skinheads, chamado "Carecas do Brasil", divulgava ideias discriminatórias na internet, conteúdos antissemita e nazistas pregava a supremacia da raça ariana.  Outros seis acusados pelo crime ainda não têm data para serem julgados.


Fonte: G1

Imagem: Márcio Daudt/TJ-RS/Divulgação