sarcofago

Pesquisadores abrem sarcófago milenar de cantora egípcia pela primeira vez. Assista ao vídeo

Três semanas depois de ter sido encontrado em uma missão arqueológica em Luxor, foi aberto o sarcófago da chamada “cantora de Amón”, que cantava e dançava nos templos egípcios, em cultos de adoração a Amon-Rá, o rei dos deuses.

Após 3 mil anos oculto, esse tesouro histórico finalmente veio à tona. Graças a um trabalho sutil e delicado, uma vez que se corria o risco de danificar a tampa do túmulo, os especialistas puderam abrir o ataúde de madeira e gesso e dar de cara a cara com a múmia.

O egiptólogo Francisco Martín Valentín, um dos responsáveis pela escavação, descreveu o momento com grande precisão: “Todos que estavam lá entenderam que era uma continuidade entre o momento em que essa mulher foi colocada dentro do sarcófago para toda a eternidade e o instante em que outros humanos levantaram essa tampa, não para perturbar seu descanso, mas com o afã de compreendê-la”.

Fonte e imagens: El Mundo

Imagem: Museu Nacional (Museu Nacional) [CC0], via Wikimedia Commons