FUTURO

Os 20 problemas que preocupam as pessoas mais inteligentes do mundo

Segundo pesquisa realizada anualmente pela revista online Edge com as figuras de maior destaque dos campos científico, tecnológico literário e acadêmico, estes são os problemas que preocupam atualmente os grandes pensadores da atualidade:

Vídeo relacionado:
1. A proliferação da eugenia chinesa. (Geoffrey Miller, psicólogo evolutivo).

2. O fato de que continuamos a nos basear em modelos políticos, econômicos e sociais que se demonstraram fraudulentos. (Nassim Nicholas Taleb, matemático).

3. Que não sejamos capazes de vencer a batalha contra os vírus, aprendendo a fazer com que eles superem o limiar da catástrofe-erro. (William McEwan, pesquisador de biologia molecular).

4. Que a pseudociência ganhe terreno. (Helena Cronin, escritora e filósofa).

5. Que a era da aceleração tecnológica acabe oprimindo a humanidade. (Dan Sperber, cientista social e cognitivo).

6. Os verdadeiros acontecimentos apocalípticos: o número crescente de eventos que poderão causar a devastação total da sociedade humana. (Martin Rees, ex-presidente da Royal Society).

7. A queda da cobertura científica nos jornais. (Barbara Strauch, editora de ciência do New York Times).

8. As explosões estelares, o colapso do Sol e os problemas de identidade humana que impedem que lidemos com eles. (John Tooby, fundador do campo da psicologia evolutiva).

9. Que a internet acabe com a escrita. (David Gelernter, cientista informático em Yale).

10. Que as pessoas inteligentes não se envolvam na política. (Brian Eno, músico).

11. Que ocorra outra supernova financeira. (Seth Lloyd, professor de engenharia mecânica quântica na MIT).

12. Que os motores de busca se transformem nos árbitros da verdade. (W. Daniel Hillis, físico).

13. Deveria nos preocupar a escassez de companheiros desejáveis, pois “estamos em um momento de muita brutalidade e traição humana”. (David M. Buss, professor de psicologia da Univerdade do Texas).

14. “Preocupa-me que nossa tecnologia esteja contribuindo para o desaparecimento do prolongado consenso pós-guerra contra o fascismo”. (David Bodanis, escritor e futurista).

15. Que continuemos considerando as palavras que soam mal como algum tipo de tabu. (Benhamin Bergen, professor associado de ciência cognitiva, UCS).

16. A limitação do acesso à informação. (David Rowan, editor da Wired UK).

17. Que as tecnologias digitais estejam minando nossa paciência e mudando a forma com que percebemos o tempo. (Nicholas G. Carr, escritor).

18. Uma “bomba do despovoamento”. (Kevin Kelly, editor-chefe da Wired).

19. Que parem de financiar e realizar grandes experimentos. (Lisa Randall, física de Harvard).

20. “Preocupa-me que, devido ao aumento da capacidade de resolução e problemas de nossas tecnologias, diminua nossa capacidade para distinguir problemas importantes de triviais ou, até mesmo, inexistentes”. (Evgeny Morozov, editor-colaborador da Foreign Policy).


Fonte: Infobae

Imagem: Shutterstock