Todos os horários
GUERRAS

Nem Aliados, nem traidores: um banheiro destruiu um submarino nazista na Segunda Guerra

Em 1945, os Aliados da Segunda Guerra Mundial, grupo de países que combatiam a Alemanha nazista, contaram com um aliado inusitado para destruir um submarino alemão: o banheiro da embarcação.

Vídeo relacionado:

À época, os submarinos alemães inovaram no gerenciamento de resíduos subaquáticos. Em vez de manter seu lixo a bordo em fossas sépticas, os engenheiros alemães elaboraram um método para que ele fosse descarregado diretamente na água – uma medida ambientalmente absurda, mas que garantia que o submarino seguisse navegando sem carregar peso extra.

Não era tão simples assim colocar algo para fora de um submarino sem abrir caminho para que a água entrasse. Inicialmente, o mecanismo só poderia ser utilizado em águas relativamente rasas e, à medida que a guerra continuava, tornou-se cada vez mais perigoso que os submarinos permanecessem perto da superfície, por medo de serem vistos pelos inimigos. Até que, em 1945, a tecnologia havia progredido e os alemães conseguiram desenvolver um tipo mais avançado de banheiro de alta pressão que poderia ser lavado em águas profundas.

Tratava-se de um banheiro muito mais complicado que os modelos anteriores. Ele direcionava o lixo por meio de uma série de câmaras altamente pressurizadas até finalmente descarregá-lo no mar. Cada submarino tinha um especialista a bordo treinado para operar o banheiro adequadamente.

O U-1206 foi um dos novos modelos de submarinos equipados com a nova tecnologia. Em abril de 1945, foi submerso no Mar do Norte, a mais de 16 mil km da costa da Escócia, quando seu capitão, Karl-Adolf Schlitt, decidiu que precisava usar o banheiro. Acontece que Schlitt não havia passado pelo treinamento adequado e, incapaz de descobrir sozinho como acionar a descarga, chamou um engenheiro para ajudá-lo. Após um mal-entendido, o engenheiro abriu a válvula errada, inundando a câmara sanitária do U-1206 com água do mar e esgoto, que penetrou nas baterias internas do submarino e reagiu, produzindo gás de cloro, produto químico tóxico que ameaçou envenenar toda a tripulação. Sem alternativa, Schlitt ordenou que o submarino voltasse à superfície para que o gás pudesse ler liberado.

Ao surgirem, eles foram quase que imediatamente vistos por aviões britânicos, que desencadearam ataques aéreos, prejudicando o submarino o suficiente para que não fosse mais capaz de mergulhar. Schlitt ordenou que a equipe abandonasse o submarino enquanto a tripulação tentava chegar à costa escocesa em botes salva-vidas. 

Três membros da equipe, Hans Berkhauer, Karl Koren e Emil Kupper, foram mortos. Schlitt e os demais membros sobreviveram à guerra, que terminou apenas algumas semanas depois, quando os alemães se entregaram oficialmente em 7 de maio de 1945. Até hoje, o U-1206 permanece cheio de água no fundo do Mar do Norte.