Ta Na História

Jogo da Morte: ucranianos humilham nazistas em partida de futebol

Por Thiago Gomide do Tá na História.

Parceria HISTORY e Ta Na História

O estádio do Zenit, em Kiev, na Ucrânia, estava lotado em 9 de agosto de 1942.

Não era por acaso: todos seriam testemunhas de uma partida de futebol marcante para a história.

Estamos no meio da Segunda Guerra mundial e os nazistas já tinham invadido a União Soviética. A Ucrânia, como sabemos, fazia parte.

Kiev, capital do país, recebia a equipe Flak II, composta por militares da elite aérea alemã. Essa turma não sabia o que era derrota. Jogavam se exibindo. Estavam acostumados com os aplausos. 

Encarnavam a ideia de raça ariana. Precisavam multiplicar a filosofia.

De um lado do campo estavam esses rapazes. Ocupando o lado oposto, o time do Start, formado por funcionários de uma padaria. Alguns eram ex-jogadores profissionais do Dínamo de Kiev e do Locomotiva, dois clubes populares da Ucrânia.

Um jogo já tinha rolado anteriormente entre os dois times e o Start tinha vencido. Ali estava a revanche.

E a regra era clara: o Start precisava entregar o jogo.

Entenda o que aconteceu, os detalhes do jogo da morte e as consequências pelo não cumprimento da ordem.

A Ucrânia perdeu entre 800 mil e um milhão de pessoas na Segunda Guerra Mundial.

Dica de ouro: aproveite e se inscreva no youtube.com/tanahistoria. Têm muitos outros vídeos sobre personagens e fatos marcantes da história.

Pra entrar em contato, o e-mail é [email protected]


THIAGO GOMIDE é jornalista e pesquisador. Foi apresentador e editor do Canal Futura e da MultiRio, ambos dedicados à educação. Escreveu e dirigiu o documentário "O Acre em uma mesa de negociação". Além de ser o responsável pelo conteúdo do Tá na História, atualmente edita e apresenta o programa A Rede, na Rádio Roquette Pinto ( 94,1 FM - RJ). 

A proposta do Tá na História é oferecer conteúdos que promovam conhecimento sobre personagens e fatos históricos, principalmente do Brasil. Tudo isso, claro, com bom humor e muita curiosidade.