BUDISMO

Imagens provariam que lama mumificado há 79 anos está vivo?

A comunidade budista de Ulan-Ude, na República da Buriácia, na Rússia, divulgou imagens que poderiam indicar que o lama  Dashi-Dorzho Itigilov teria se "movido" dentro do seu palácio e saído do suposto estado de meditação profunda, acreditam seguidores.

Os restos do lama Itigilov são mundialmente famosos por seu excepcional estado de preservação 79 anos após sua morte - um fato que desafia a ciência e leva muitos a acreditar que ele está vivo em uma espécie de estado nirvana.

Trata-se de uma série de registros obtidos de uma câmera de segurança, instalada em uma das salas do palácio de Ivolginsky Datsan, onde a múmia de Dashi-Dorzho Itigilov descansava. Se estivesse vivo hoje, o lama teria 164 anos. Nas imagens são vistas silhuetas humanas em dois momentos distintos, locais e posições diferentes da sala.

Segundo Damba Ayusheev, atual lama da comunidade, “não se trata de uma brincadeira. É de verdade. Vejo uma figura na foto (...) e sei que não poderia haver ninguém no palácio de Khambo Lama Itigilov naquele momento. Fiquei assustado com a imagem e, apesar de no fundo ter imaginado essa possibilidade, não estava preparado para vê-la”.

Quando os restos da múmia foram examinados, em 1955 e 1973, os monges concluíram que ela não apresentava sinais de decomposição. Em 2002, uma equipe de cientistas analisou novamente o corpo e afirmou que ele correspondia ao de uma pessoa com 36 horas de óbito.

Nem todos concordam que as imagens - cinzentas, granuladas e com pouca nitidez - revelariam que o lama realmente teria se movido. Alguns pensam que se trata apenas de um segurança descansando, segurando duas sacolas plásticas.

 


Fonte: The Siberian Times

Imagem destaque: Domínio Público

Imagens no corpo do texto: Reprodução/Damba Ayusheev via The Siberian Times