Napoleão Bonaparte

Historiador diz que sabe onde está enterrado o tesouro de Napoleão

Reza a lenda que Napoleão Bonaparte e seu exército saquearam palácios e igrejas de Moscou durante sua tentativa de invasão à Rússia, em 1812. O tesouro roubado estaria enterrado em um local desconhecido até hoje. Agora, um historiador russo diz que sabe onde a fortuna pode estar escondida. 

Vídeo relacionado:

Rumores diziam que os soldados teriam enterrado o fruto do saque em algum lugar no caminho de volta para a França. Especula-se ainda que os objetos de valor foram jogados no Lago Semlevskaya. Mas o historiador Viacheslav Ryzhkov acredita que o tesouro está no fundo de outro lago, chamado Bolshaya Rutavech, perto da fronteira da Rússia com a Bielorrússia.

Segundo ele, Napoleão enviou suas tropas para o Lago Semlevskaya como forma de despistar possíveis caçadores de tesouros. Na verdade, o material teria sido deposito no Lago Bolshaya Rutavech. O historiador acredita que os soldados criaram um dique temporário, possibilitando a construção de uma cripta enterrada no solo, a uma distância de 50 metros da margem do lago. Quando o dique foi reaberto, a água cobriu o local do esconderijo.

Acredita-se que entre o material roubado estavam lingotes de ouro, joias, canhões, armaduras antigas e uma cruz da torre de Ivan, o Grande (avô do czar Ivan, o Terrível). Agora, Ryzhkov quer a ajuda de especialistas para desenterrar o tesouro. Ele afirmou que não quer a riqueza para si, mas sim devolvê-la aos verdadeiros donos, como as igrejas e templos de onde os objetos foram roubados.


Fonte: IFLScience

Imagem: Édouard Detaille  (1848–1912), via Wikipedia Commons