POVOS INDÍGENAS

Gravuras indígenas históricas são alvo de vandalismo em caverna no Xingu

Uma caverna que abriga gravuras indígenas foi vandalizada em Paranatinga (MT), no Alto Xingu. De acordo com a Polícia Militar, parte dos desenhos foi simplesmente apagada. Não se sabe a data exata das imagens destruídas, mas elas podiam ter centenas de anos.

Vídeo relacionado:

Com a colaboração de policiais, o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) fez uma perícia na caverna Kamukuwaká. Há indícios de que as gravuras tenham sido danificadas com o uso de algum tipo de ferramenta. A maioria das imagens representava animais.

A caverna é considerada sagrada para 11 etnias do Xingu. De acordo com a mitologia dos Waurá, um guerreiro chamado Kamukuwaká habitava o local. Ele teria defendido seu povo dos ataques do inimigo Kamo (o Sol), que invejava sua beleza. A lenda diz que Kamukuwaká e sua família escaparam para o céu com a ajuda de pássaros, que abriram um buraco no teto da sua casa transformada em pedra por Kamo.

Uma das suspeitas é que pode ter havido motivação econômica no ato de vandalismo, pois a caverna fica numa área de interesse econômico. O local é tombado pelo patrimônio histórico desde 2016. A Fundação Nacional do Índio (Funai) encaminhou às autoridades um pedido de investigação.


 Fonte: BBC

Imagem: Vilson de Jesus/Divulgação/People's Palace Projects