EGITO

Arqueólogos encontram tumba rara de sacerdotisa egípcia

Arqueólogos desenterraram uma tumba egípcia de 4400 anos, em bom estado de conservação. O mais surpreendente é que o templo mortuário pertencia a uma sacerdotisa chamada Hetpet. Mulheres exercendo o sacerdócio eram uma raridade no Antigo Egito.

Vídeo relacionado:

A tumba foi erguida em Gizé na época da Quinta Dinastia, um período próspero, quando os faraós construíram palácios e pirâmides. Hetpet era uma sacerdotisa que louvava Hathor, a deusa da fertilidade. Essa entidade também representava a dança e a música.  Pouco se sabe de Hetpet, mas seu nome já havia sido encontrado em artefatos descobertos em 1909. A sacerdotisa também é retratada caçando e pescando em imagens encontradas na tumba.

O cemitério onde a tumba foi encontrada também abrigava os túmulos de outros oficiais da Quinta Dinastia, que durou de 2465 a.C até 2323 a.C. Além das imagens da sacerdotisa, as paredes do local estavam decoradas com outras pinturas. As imagens mostram cenas de música e dança. Uma delas traz dois macacos comendo frutas e dançando em frente a uma orquestra. 

"Cenas assim são raras. Foram encontradas previamente apenas na tumba de Ka-Iber, onde uma imagem mostrava um macaco dançando em frente a um homem tocando um instrumento de cordas", disse Mostafa Waziri, secretário geral do Supremo Conselho de Antiguidades do Egito. De acordo com ele, o local onde a tumba foi descoberta é promissor e pode conter outros achados importantes.

Fonte: NPR

Imagem: Ministério das Antiguidades do Egito