CHINA

Arqueólogos encontram “elixir da imortalidade” em tumba de dois mil anos na China

Arqueólogos descobriram na China um pote de dois mil anos que continha um "elixir da imortalidade". A relíquia foi encontrada em uma tumba na província de Henan. Junto ao recipiente de bronze, estavam outros artefatos feitos do mesmo material e uma lâmpada ornamental no formato de um ganso.

Vídeo relacionado:

Quando o líquido amarelado foi descoberto, os especialistas acreditavam que se tratava de uma bebida alcoólica. Mas análises demonstraram que a poção de 3,5 litros era feita de nitrato de potássio e alunita. De acordo com antigos textos do taoísmo (doutrina mística e filosófica chinesa), esses ingredientes eram usados na preparação do "elixir da imortalidade".

De acordo com Shi Jiazhen, diretor do Instituto de Relíquias Culturais e Arqueológicas de Luoyang, esta é a primeira vez que um desses "remédios da imortalidade" citados em textos milenares é encontrado na China. A descoberta irá ajudar a entender melhor os rituais funerários e a filosofia da China antiga. "O líquido é importante para o estudo da evolução da civilização chinesa", disse Jiazhen.

O líquido não era muito eficaz, obviamente, já que foi encontrado em uma tumba. Seus ingredientes não possuem nenhuma propriedade relacionada à imortalidade. O nitrato de potássio é o sal iônico usado em fertilizantes, fogos de artifício e no processamento de carne, que pode ser tóxico em altas doses. Já a alunita é usada para fabricar alume, que é utilizado em purificação de água, no curtimento de couros e na fabricação de tecidos à prova de fogo.


Fonte: IFLScience

Imagem: Shutterstock.com