Hoje na história

06.Abr.1892

Treze generais protestam contra o governo do presidente Floriano Peixoto

No dia 6 de abril de 1892, foi publicado o Manifesto dos 13 generais, documento assinado por treze autoridades militares, no dia 31 de março de 1892, no início do governo do presidente Floriano Peixoto, que assumiu o cargo após a renúncia de Deodoro da Fonseca. O documento contestava a legitimidade do governo e condenava as atitudes de Floriano Peixoto contra rebeliões nos estados. Além disso, o manifesto também pedia a convocação de nova eleição para a presidência da república. No dia seguinte à publicação, Peixoto ordenou a prisão de alguns dos envolvidos no manifesto e determinou que alguns deles fossem reformados. Os militares alegavam que o governo de Peixoto era irregular, já que o artigo 4 da Constituição previa novas eleições quando houvesse renúncia do presidente antes de dois anos de mandato. No caso, Deodoro da Fonseca renunciou antes deste prazo e seu vice era Peixoto, que assumiu alegando que havia uma exceção na Constituição ao determinar que a exigência só se aplicava a presidentes eleitos diretamente pelo povo. Peixoto foi presidente do Brasil entre 1891 e 1894. Por conta da sua maneira enérgica e ditatorial para reprimir movimentos contrários ao seu governo, ele ficou conhecido como "Marechal de Ferro" e também "Consolidador da República". Em sua homenagem, a cidade de Desterro, hoje capital de Santa Catarina, foi nomeada Florianópolis, termo que significa “cidade de Floriano”.

 

Imagem: Governo do Brasil [Domínio Público], via Wikimedia Commons