Hoje na história

25.DEZ.1961

Nasce Ingrid Betancourt, política colombiana sequestrada pelas FARC

No dia 24 de dezembro de 1961 nascia em Bogotá, na Colômbia, Ingrid Betancourt Pulecio, senadora e política. Ingrid foi sequestrada por um grupo guerrilheiro FARC no dia 23 de fevereiro de 2002, durante sua campanha para as eleições presidenciais. Ela ficou no cativeiro por quase seis anos. Sua libertação aconteceu apenas no dia 2 de julho de 2008, quando também foram liberadas outras 14 pessoas em uma operação de sucesso, onde nem um disparo sequer foi necessário. Do tempo que ficou em cativeiro, ela publicou o livro “Não há silêncio que não acabe”, que causou certa polêmica por conta de relevações sobre o comportamento de sua ex-assessora, Clara Rojas, sequestrada junto com Ingrid. Filha de um ex-senador e ex-embaixador colombiano com uma ex-miss Colômbia, Ingrid morou bastante tempo em Paris. Estudou Ciências Políticas no Instituto de Estudos Políticos de Paris e seu círculo de convívio familiar contava com as presenças do poeta Pablo Neruda, do escritor Gabriel García Márquez e do pintor Fernando Botero. Em 1989, ela decidiu retornar à Colômbia. Dez anos depois, foi candidata ao Senado e eleita com uma grande votação. Durante seu mandato, recebeu várias ameaças de morte e precisou enviar seus filhos para fora do país. Ingrid também publicou um livro, chamado “Raiva no Coração”, em que fazia revelações polêmicas contra o ex-presidente Samper. A obra, inicialmente, não foi publicada na Colômbia.

 


Imagem: BankingBum (Próprio trabalho) [CC BY 3.0], via Wikimedia Commons