Hoje na história

18.jan.1943

Judeus e nazistas se enfrentam em conflito que antecedeu o Levante do Gueto de Varsóvia

Em 18 de janeiro de 1943, houve o primeiro conflito entre judeus e oficiais nazistas na Polônia, conflito que iria se desdobrar no Levante do Gueto de Varsóvia. Naquele dia, vários batalhões da SS marcharam rumo ao gueto, mas foram atacados, sendo obrigados a se retirar do local. Os combatentes judeus tiveram algum sucesso: os transportes pararam após 4 dias e duas organizações de resistência tomaram o controle do gueto.

O Gueto de Varsóvia foi uma área criada em 1940 pela Alemanha nazista para reunir a população judaica durante a Segunda Guerra Mundial. Nos três anos da sua existência, a fome, as doenças e as deportações para campos de trabalho reduziram a população estimada de 380 000 para 90 000 habitantes.

Nos três meses seguintes após o primeiro conflito, os habitantes do gueto prepararam-se para aquilo que eles pensavam poder ser a luta final. Foram cavados túneis por baixo das casas, a maioria ligadas pelo sistema de esgotos e de abastecimento de água, dando acesso a zonas mais seguras de Varsóvia. Mas a resistência não era capaz de libertar o gueto ou destruir o aparelho nazista local.

A batalha final começou na noite da páscoa judaica, no domingo 19 de abril de 1943. Três mil nazistas confrontaram a resistência de 1,5 mil moradores. Os partisans judaicos dispararam e atiraram granadas contra patrulhas alemãs a partir de becos, esgotos, janelas. Os nazistas responderam detonando as casas bloco por bloco e cercando e matando todos os judeus que podiam capturar.

De acordo com relatos, verificava-se cheiro de cadáveres nas ruas, das bombas incendiárias e mulheres saltando dos andares superiores dos prédios com crianças nos braços. Em 8 de maio, os rebeldes foram cercados. Alguns deles, preferiram o suicídio do que ser levado a campos de extermínio. Às 20 horas e 15 minutos do dia 16 de maio, finalmente considerou-se o fim do levante com a destruição da sinagoga do gueto, então em ruínas.

Após as revoltas, o gueto tornou-se o local onde os prisioneiros e reféns poloneses eram executados pelos alemães. Mais tarde, foi criado um campo de concentração na área do gueto. Chamava-se KL Warschau. Durante a revolta de Varsóvia que se seguiu, a unidade AK polaca "Zoska" conseguiu salvar 380 judeus do campo de concentração e a maioria deles juntou-se à AK.


Imagem: Museu do Holocausto dos Estados Unidos, via Wikimedia Commons