Hoje na história

08.fev.1347

Chega ao fim os sete anos da Guerra Civil Bizantina

No dia 8 de fevereiro de 1347 chegou ao fim o longo conflito da Guerra Civil Bizantina (1341–1347), também conhecida como Segunda Guerra Civil Paleóloga. A guerra foi encerrada com um acordo que tornou Cantacuzeno o imperador por dez anos. Após esse período, ele e o herdeiro João V reinariam como iguais, segundo o acordo firmado. Cantacuzeno ainda prometeu perdoar todos os seus adversários. Para selar o pacto, João V se casou com a filha de Cantacuzeno, Helena.

 

A Guerra Civil Bizantina teve início em 1341, após a morte de Andrônico III Paleólogo, quando teve início uma disputa sucessória, já que seu herdeiro, João V Paleólogo, tinha somente nove anos de idade. De um lado, pela disputa do império estava o principal ministro de Andrônico III, Cantacuzeno e, do outro, um grupo de regentes, formado pela imperatriz-mãe Ana de Saboia, o patriarca de Constantinopla João XIV Calecas e o mega-duque Aleixo Apocaucos. Cantacuzeno contava com o apoio da aristocracia, enquanto as classes média e baixa davam suporte aos regentes. 

 

Como principal conselheiro e amigo mais próximo de Andrônico III, Cantacuzeno se tornou o regente do menor João V quando o imperador morreu em junho de 1341. Porém, quando Cantacuzeno se ausentou de Constantinopla (atual Istambul, na Turquia) em setembro do mesmo ano, Aleixo Apocaucos aproveitou para dar um golpe de estado liderado pelo patriarca João XIV, com apoio da imperatriz-mãe, e estabeleceu uma nova regência. Cantacuzeno respondeu com o exército e seu aliados em outubro. Não demorou muito e o conflito entre dos dois grupos tornou-se uma guerra armada. 

 

O longo conflito teve inicialmente uma vitória da nova regência, mas com o decorrer da guerra Cantacuzeno reverteu o resultado. Um duro golpe para o grupo regente foi o assassinato do mega-duque Apocaucos, em junho de 1345. Cantacuzeno foi formalmente coroado imperador em Adrianópolis (atual Edirne) em 1346 e entrou em Constantinopla em 3 de fevereiro de 1347. 

 

Quem mais sofreu com a longa guerra foi o próprio Império Bizantino, que acabou devastado com a presença de exércitos mercenários, perdas de territórios, revoltas e a peste negra ao longo do período. 

 


 

Imagem: Uploaded by Cplakidas [Public domain], via Wikimedia Commons